Visita escolar guiada resgata o passado da Estrada Boiadeira do Taboado

DSCN5264

Alunos do Colégio Unifev foram orientados pelo turismólogo responsável pelo setor de Museus e Patrimônios Históricos de Votuporanga, Evandro Ferreira

Um grupo de alunos do 1º ano do ensino médio do Colégio Unifev teve a oportunidade de participar de uma visita guiada a um trecho da Estrada Boiadeira do Taboado nesta semana. A antiga rota de tropeiros, aberta no final do século XIX, interliga mais de 25 municípios do noroeste paulista como Votuporanga, Meridiano e Valentim Gentil.

A visita dos estudantes foi organizada pelo professor de história do colégio, Paulo Eduardo Stipp, e orientada pelo turismólogo responsável pelo setor de Museus e Patrimônios Históricos da Secretaria da Cultura e Turismo de Votuporanga, Evandro Junior Ferreira da Silva, que, desde 2003, se dedica à pesquisa de temas relacionados à história da estrada.

De acordo com Evandro, há um projeto de tombamento em tramitação na Secretaria de Estado da Cultura que, caso aprovado, reconhecerá a Estrada Boiadeira como Patrimônio Cultural Paulista, facilitando a aquisição de recursos e investimentos para o desenvolvimento do turismo em Votuporanga e seus arredores. “A ideia é planejar mais roteiros monitorados ao longo do ano, para apresentar ao público as potencialidades culturais da nossa região”, ressaltou.

Para a secretária municipal da Cultura e Turismo, Silvia Stipp, que também esteve presente durante a visita, atividades como esta “contribuem não só para o resgate das memórias do povo votuporanguense, como também auxiliam na transmissão dessas narrativas históricas para as novas gerações”.

História

Fundada no ano de 1895, a Estrada Boiadeira completou 122 anos no último dia 2 de abril. A via serviu como uma importante rota comercial para o Estado de São Paulo até meados do século XX, quando passou a ser gradualmente substituída pelas estradas de ferro.

Antes disso, o caminho era um dos principais acessos utilizados pelas comitivas que transportavam boiadas vindas do Mato Grosso até os frigoríficos paulistas, em especial os do município de Barretos.

Além do gado, eram trazidos pelos boiadeiros artigos como mantimentos e remédios, que abasteciam e movimentavam a economia dos vilarejos ao redor da estrada, de maneira que muitos deles acabaram transformados em cidades.

Ainda hoje é possível se deparar com diversos vestígios que ajudam a contar a história da Boiadeira, como túmulos, casarões, vendas, capelas e até mesmo antigos trechos da estrada, que acabaram cobertos pela vegetação.

Anúncios

FOTOS: Centro Cultural recebe programa de Educação Patrimonial

Confira os registros do que aconteceu durante os cursos oferecidos na última terça (24) e quarta-feira (25)

dscn4404
Oficina “Construindo potes com argila”, mediada pela arqueóloga Marianne Sallum (MEA/USP)

O Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali” recebeu na última terça (24/01) e quarta-feira (25/01) uma série de atividades gratuitas que integram de programa de Educação Patrimonial oferecido pela Gestão Arqueológica, empresa de consultoria em patrimônio histórico, sediada na cidade de São José dos Campos (SP).

Na terça-feira, o público pôde participar da oficina “Construindo potes com argila”, coordenada pela arqueóloga Marianne Sallum, do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE/USP). Durante a atividade os participantes tiveram a oportunidade de não só conhecer um pouco mais a respeito da história da cerâmica, como também experimentar técnicas de modelagem e acordelamento.

Já na quarta-feira, o destaque ficou por conta da palestra “Patrimônio histórico e arqueológico de São Paulo: uma história de longa-duração”, que contou com a participação do professor doutor Gregório Cardoso Tápias Ceccantini, biólogo do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB/USP).

Após a palestra, o público ainda participou de uma oficina de pintura rupestres, mediada por Carolina Guedes, arqueóloga do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE/USP).

Confira as imagens na galeria abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Centro Cultural terá cursos na área de arqueologia

arqueologia

Atividades gratuitas acontecem nesta terça (24/01) e quarta-feira (25/01)

O Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali” recebe nesta terça (24/01) e quarta-feira (25/01) uma série de atividades gratuitas que integram o programa de Educação Patrimonial oferecido pela Gestão Arqueológica, empresa de consultoria em patrimônio histórico, sediada na cidade de São José dos Campos (SP).

Com o objetivo de proporcionar à comunidade o reconhecimento e a apropriação de sua valiosa herança cultural, o programa traz à cidade atividades que permitirão ao público não apenas a identificação do patrimônio arqueológico existente na região, mas também pensar e interagir em torno dos possíveis significados deste patrimônio, abrindo caminho para a discussão de questões identitárias e de cidadania.

Entre as atividades desenvolvidas pelo programa está a oficina “Construindo potes com argila”, na qual os participantes poderão experimentar técnicas de modelagem e acordelamento, além de conhecer um pouco mais a respeito da história da cerâmica.

O programa de Educação Patrimonial também traz a Votuporanga a palestra “Patrimônio histórico e arqueológico de São Paulo: uma história de longa-duração”, ministrada pela arqueóloga e arte-educadora Marianne Sallum, e a vivência “Danças circulares”, na qual a educadora Andrea Leoncini apresenta ao público danças tradicionais que têm por objetivo fortalecer a identificação dos participantes com suas raízes.

Confira a programação completa do programa de Educação Patrimonial:

Terça-feira (24/01)

Evento: Oficina “Construindo potes com argila” com a arqueóloga e arte-educadora Marianne Sallum

Horário: das 15h às 16h30

Local: Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali”

 

Quarta-feira (25/01)

Evento: Palestra “Patrimônio histórico e arqueológico de São Paulo: uma História de longa-duração” com a arqueóloga e arte-educadora Marianne Sallum

Horário: das 15h às 16h30

Local: Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali

 

Evento: Vivência “Danças circulares” com a educadora Andrea Leoncini

Horário: das 15h às 16h30

Local: Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali